Cliente Favorit: Prêmio Proteção Brasil 2018

Seg, 25 de Fevereiro de 2019 10:07 Administrador
Imprimir PDF

premio

Necessárias para a produção dos mais diversos itens, máquinas e equipamentos são instrumentos de trabalho de muitos brasileiros. Mas, quando não seguem exigências legais de segurança como as que estão na Norma Regulamentadora 12, podem causar acidentes graves, como amputações e até a morte.

A adaptação e a modernização dos maquinários presentes nas indústrias do País são grandes desafios para a mitigação desses riscos. Apesar das dificuldades como alto investimento e estudos específicos para readequação de maquinários e processos, companhias têm criado soluções inovadoras neste cenário.

É o caso das vencedoras do Prêmio Proteção deste ano na categoria Segurança de Máquinas e Equipamentos, que deram uma verdadeira aula no uso de novas - e antigas - tecnologias em prol da prevenção. Unindo o conhecimento de fabricantes, lideranças e dos trabalhadores que lidam com equipamentos, essas companhias alcançaram zero acidentes graves com maquinários. É o caso da Schneider Electric Brasil, de Blumenau/SC que conquistou o Ouro nesta categoria e Melhor Case da Região Sul, e da Aços Favorit Distribuidora, de Cachoeirinha/RS.

...

Aços Favorit: Um desafio de peso

Em 2012, a Aços Favorit Distribuidora, com sede em Cachoeirinha/RS, iniciou a adequação de máquinas à NR 12. Quatro anos mais tarde, ainda durante este processo, a empresa recebeu a visita de auditores fiscais do Trabalho, que interditaram 46 das suas 73 serras-fitas em operação. Esse fato acelerou o trabalho nestes equipamentos, resultando no case ganhador da distinção Prata em Segurança de Máquinas e Equipamentos.

premio 9 seguranca de maquinas e equipamentos 324 foto 3 - copia

Com o título `Vencendo o Desafio de Adaptação em NR 12 para as Maiores Serras Fitas do Brasil’, o trabalho partiu de uma mobilização completa da companhia, desde as equipes do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) e da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), até operadores e a liderança. O objetivo era promover as mudanças necessárias para que os maquinários pudessem operar de forma segura, sem perder a produtividade.

"Antes, as máquinas apresentavam alguns riscos aos operadores. Hoje, após as melhorias realizadas, quem nos visita, vê que estamos muito mais organizados e padronizados. Porque temos um check list diário que a equipe faz, para verificar os itens de segurança", comparou Jose Clandio Vieira de Souza, supervisor industrial da Aços Favorit.

A empresa priorizou, neste trabalho, duas serras-fitas específicas, com maior capacidade de corte e que representavam boa parte dos riscos. Uma das principais dificuldades para o desenvolvimento do case foi a falta de referências (equipamentos semelhantes) para adaptação à NR 12. Embora a equipe de SST tivesse contato com os fabricantes, apenas o conhecimento deles não bastava; era necessário unir informações de fabricantes, exigências e sugestões da legislação e, em especial, a experiência dos operadores destes equipamentos. Por isso, foram realizadas reuniões com colaboradores da companhia, seleção de fornecedores, análise preliminar dos riscos das serras-fitas, estudo de projetos e adaptações necessárias.

"Para a implementação do projeto, nos dividimos em várias equipes, cada uma cuidando de uma etapa. Contratamos fornecedores para fazer a análise de risco, documentação, e depois fizemos os projetos, analisamos, liberamos no Ministério do Trabalho e começamos a colocar em prática cada etapa", descreveu Souza.

Riscos

Durante a análise de risco, foram identificados perigos elétricos por contato direto de pessoas com partes energizadas das máquinas, solucionados com procedimentos para bloqueio de energia; e perigos mecânicos, com exposição de colaboradores a partes das serras que poderiam causar amputações, cortes e mutilações, além do risco de queda de pessoas da plataforma de operação dos maquinários e escadas. Várias ações precisaram ser realizadas para mitigar os riscos mecânicos, como a instalação de sistema de segurança, monitoramento e parada segura da máquina em caso de falha, e bloqueios.

Áreas de risco, restritas a profissionais treinados, foram enclausuradas com proteções físicas feitas de aço, que só podem ser destravadas com chaves de segurança específicas. Os maquinários também receberam dispositivos de emergência, como botões para parada dos equipamentos, e interface para detecção de falhas.

Investimento

Um dos diferenciais foi o investimento. O valor inicial para as duas primeiras serras-fitas foi de R$ 50.000 e levou um mês para a adequação dos equipamentos. Entretanto, o projeto de adequação de todas as máquinas à NR 12 levou quase dois anos perfazendo um investimento total de R$ 2.000.000. Com isto, em 2016 já ocorreu um significativo retorno, uma vez que não houve nenhum registro de acidente neste período. "Com esse trabalho, acreditamos que os objetivos foram alcançados: a eliminação de riscos para nossos operadores e a consolidação da imagem da Aços Favorit como uma empresa comprometida com a segurança dos seus colaboradores", celebrou Souza.

Após as adequações, auditores fiscais do Trabalho aprovaram as mudanças, liberando as serras-fitas para operação. O trabalho ganhou visibilidade no Rio Grande do Sul, tornando-se modelo para universidades e outras organizações. Atualmente, a Aços Favorit recebe, em média, 200 visitas por ano de profissionais que desejam conhecer o parque fabril e as medidas de proteção dos maquinários.

Matéria completa: Prêmio Proteção Brasil 2018 - Cases Segurança de Máquinas e Equipamentos

Última atualização em Seg, 25 de Fevereiro de 2019 10:20